Publicado em Sermões

Perdeu o Sermão?

Sermão de sábado, 23/01/2009, na Igreja Adventista do Sétimo Dia de Taguatinga Centro.

Heder Knupfer – Diretor JA

img_3563

Voltando das férias e incumbido de dirigir a mensagem nesse sábado, o Heder levou-nos à reflexão introduzindo seu sermão com o texto de Apoc. 21:4:

“E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.”

Para dar sequência à mensagem, aproveitou-se de alguns fatos recentes tirados de sua própria experiência durante as férias e também do noticiário cotidiano:

Começando pela tradicional queima de fogos em Copacabana, onde esteve, a convite de parentes, na passagem do ano, recordou o silêncio da multidão nos momentos que antecediam imediatamente o início do espetáculo de luz e cores (os olhos de todos voltados para cima, em assombro e expectativa) e vinculou essa imagem à descrição da volta de Cristo que encontramos na Bíblia e em outras passagens do Espírito de Profecia.  De “O Grande Conflito”, citou especialmente este trecho bem conhecido:

“Surge logo no Oriente uma pequena nuvem escura, aproximadamente da metade do tamanho da mão de um homem. É a nuvem que rodeia o Salvador, e que, à distância, parece estar envolta em trevas. O povo de Deus sabe ser esse o sinal do Filho do homem. Em solene silêncio fitam-na enquanto se aproxima da Terra, mais e mais brilhante e gloriosa, até se tornar grande nuvem branca, mostrando na base uma glória semelhante ao fogo consumidor e encimada pelo arco-íris do concerto. Jesus, na nuvem, avança como poderoso vencedor.” GC, p. 640-641.

Em seguida, o Acampamento Adventista de Guarapari, que o Heder classificou como  “o melhor acampamento adventista do mundo” (pelo menos – como ele esclareceu sorridente – o melhor entre os que ele conhece), foi usado como referência de reencontro de antigos amigos e uma imagem representativa do feliz reencontro de amigos redimidos pelo sangue de Cristo. Nesse ponto, o Heder enfatizou a alegria que sentirão os salvos ao verem no céu, nas vidas ali transformadas para a eternidade, os resultados de seu testemunho e de seu evangelismo.  Instou com a igreja para que continue trabalhando  comparando o trabalho missionário a uma espécie de marketing de rede, onde amigos são convidados para conhecer e divulgar um bom produto. A motivação do cristão, obviamente, é diferente, e, sendo o resultado a salvação de almas, a recompensa é incomparavelmente maior.

Por fim, lembrou-nos da cerimônia de posse do novo presidente americano, Barack Obama.  Todo o cerimonial envolvido nas várias solenidades: as entradas organizadas, as músicas, os símbolos etc. Com isso, remeteu-nos ao “cerimonial” celestial, quando, após a volta de Cristo, os salvos ouvirão dEle mesmo as palavras: “Vinde, benditos de meu Pai.” Mat. 25:34. Narrou o encontro de Adão, representante da raça humana, com o Salvador Jesus Cristo, o “segundo Adão”;  a coroação dos remidos;  fêz-nos também refletir sobre o momento especial em que os remidos cantarão o cântico de Moisés e do Cordeiro.

O sermão foi ilustrado com belos “slides” e terminou com um apelo à reconsagração e à reafirmação de nosso desejo de sermos parte integrante das solenidades de entrega do reino que nos “está preparado desde a fundação do mundo”, reino onde viverão todos os que “lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro.” Apoc. 7:14.

Num tempo em que a confiança das pessoas tem sido depositada em “salvadores’ deste mundo, devemos estar atentos à palavra profética: “Nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça.” II Pedro 3:13.  Estamos vivendo à altura dessa esperança? Estamos preparados para esses eventos grandiosos, espetaculares, insuperáveis em beleza e significado?

O encerramento do culto veio num belo e tocante solo do músico Robson Fonseca, em um novo arranjo da antiga música “Eis-me aqui”, gravada pelo Arautos do Rei no disco “Não Desistir”, de 1979. A mensagem da música convidou-nos todos a uma oração particular:

“Eis-me aqui…Ao Teu altar me entrego. Eis-me aqui. Sem vacilar me achego. Eis-me aqui, Ó Senhor.

Chamaste com afeto, em submissão completa me rendo a Ti, Senhor meu Deus.

A decisão já feita me traz visão perfeita. Agora bem feliz sou Teu.

Eis-me aqui. Dirige a minha vida. Eis-me aqui. Fiel serei na lida.

Eis-me aqui, Ó Senhor. Serei por Ti usado, conforme o Teu mandado, em Teus caminhos seguirei.

Estranho e sem abrigo ou num lugar amigo da cruz de Cristo falarei.

Eis-me aqui, eis-me aqui, eis-me aqui.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s