Publicado em Livros, Notícias, Reflexões

Quem Moveu a Pedra? Que Dia Aquele!

Num artigo recente da Newsweek, alusivo à Páscoa, encontramos o seguinte: “Os discípulos rolaram a pedra no terceiro dia, e o corpo de Jesus tinha-se ido.” A frase — e o que ela implica — é quase imperceptível no texto, já que aparece no meio de um mosaico de visões, opiniões e reflexões diversas sobre o tema, além de outras informações e estatísticas reveladoras, como, por exemplo, a de que o número de americanos que diz acreditar na ressurreição de Jesus Cristo caiu dez pontos percentuais, de 80 para 70% desde 2003, ou a de que apenas 26% dos entrevistados acham que terão um corpo no céu.

Talvez seja esperar muito que a maior parte dos leitores do artigo note a evidente discrepância entre a declaração em destaque e o relato que se encontra na Bíblia. Por isso, vale a pena alertar e ressaltar que não há no registro sagrado nada parecido com a cena de um grupo de homens em frente ao sepulcro de Jesus, unindo forças para tentar remover uma pedra cujo peso, segundo estimativas, poderia chegar a toneladas, isso depois de terem vencido, primeiramente, e de qualquer forma, o obstáculo da guarda romana.

Além disso, longe de ser apenas um mero detalhe, a questão sobre como teria sido retirada a pedra que fechava o sepulcro é tão crucial que foi justamente a investigação desse e de outros pontos com ele relacionados que levou o crítico Frank Morison (pseudônimo de Albert Henry Ross) a abandonar seu ceticismo e tornar-se um cristão. Pode-se dizer que muito de sua jornada em direção a uma mudança assim tão radical se deve ao questionamento que fez sobre esse detalhe específico: quem moveu a pedra?, a mesma pergunta que serviria de título para o livro que escreveria mais tarde com o resultado de sua detalhada análise (aqui, em inglês: Who Moved the Stone? ).

Um “reviewer” do livro afirma que, como um Sherlock Homes de Artur Conan Doyle, Morison mostrou lógica e diligentemente que, depois de pesados todos os fatos, a solução sustentada por esses fatos — por mais inusitada que pudesse parecer — teria de ser a verdade.

E diante dos fatos, ao final de um extenso trabalho de investigação, o projeto inicial de Morison, que era expor a impossibilidade e não-autenticidade da história do julgamento e da ressurreição de Cristo, teve de mudar. Convicto do resultado de sua pesquisa, ele passou a expor e defender justamente o oposto do que intencionava originalmente.

Enquanto o livro de Morison é metódico em sua avaliação dos detalhes e circunstâncias do relato bíblico, um outro livro,  O Desejado de Todas as Nações, de Ellen White, apresenta uma narrativa fluida e integradora dos eventos que marcaram a história da ressurreição. No trecho que se segue, onde o drama humano e a intervenção divina se encontram mais uma vez, temos um quadro daquele dia memorável, quando as especiarias para ungir o Salvador se tornaram desnecessárias. Que dia foi aquele para a humanidade!

As mulheres que estiveram ao pé da cruz de Cristo esperaram, atentas, que passassem as horas de sábado. No primeiro dia da semana, muito cedo, fizeram o caminho para o sepulcro, levando consigo preciosas especiarias para ungirem o corpo do Salvador. Não pensavam em Sua ressurreição. Pusera-se o sol de suas esperanças e fizera-se noite em seu coração. Enquanto caminhavam, relembravam entre si as obras de misericórdia realizadas por Cristo, bem como Suas palavras de conforto. Não lembravam, entretanto, as que proferira: “Outra vez vos verei.” João 16:22.

Ignorantes do que se passava mesmo então, aproximaram-se do horto, dizendo: “Quem nos revolverá a pedra da porta do sepulcro?” Mat. 16:3. Sabiam não lhes ser possível afastá-la, todavia continuaram para diante. E eis que os céus se iluminaram de repente com uma glória que não provinha do Sol nascente. A terra tremeu. Elas viram que a pedra fora removida. O sepulcro estava vazio.

As mulheres que foram ao sepulcro, não partiram todas do mesmo lugar. Maria Madalena foi a primeira a chegar ao local; e ao ver que a pedra fora retirada, correu para anunciá-lo aos discípulos. Entrementes, chegaram as outras mulheres. Havia uma luz em volta do sepulcro, mas o corpo de Jesus não se achava ali. Enquanto andavam em torno, viram de repente não se encontrarem sós. Um jovem de vestes brilhantes estava sentado junto ao túmulo. Era o anjo que rolara a pedra. Tomara a forma humana, a fim de não atemorizar essas discípulas de Jesus. Todavia, brilhava-lhe ainda em torno a glória celestial, e as mulheres temeram. Voltaram-se para fugir, mas as palavras do anjo lhes detiveram os passos. “Não tenhais medo”, disse ele; “pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar em que o Senhor jazia. Ide pois, imediatamente, e dizei aos Seus discípulos que já ressuscitou dos mortos.” Mat. 28:5-7. De novo olharam elas para o sepulcro, e tornaram a ouvir as maravilhosas novas. Outro anjo, em forma humana, ali está, e diz: “Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue na mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite.” Luc. 24:5-7.

Ressuscitou! Ressuscitou! As mulheres repetem e tornam a repetir as palavras. Não há, pois, necessidade de especiarias para unção. O Salvador está vivo, e não morto. Recordaram-se então de que, falando em Sua morte, Ele dissera que ressurgiria. Que dia é este para o mundo!


11 comentários em “Quem Moveu a Pedra? Que Dia Aquele!

  1. Segundo Immanuel Kant o Cristianismo é uma Religião Ética, uma vez que seus mistérios por mais que questionados por dois mil anos, se fortalecem a cada dia, transformando seus críticos e estudiosos em defensores e seguidores desta doutrina sagrada.

  2. Por favor , eu gostaria de saber se o livro “quem moveu a pedra” já foi traduzido para o portugues.Agradeço a informação.Procurei na estante virtual e não achei.

  3. Humbelina, não tenho notícias de nenhuma tradução em português .Na época dessa postagem (2010), o link com o nome do livro remetia para uma página com o texto integral em inglês. Infelizmente essa página não está mais acessível hoje.

  4. se souberem de alguma tradução para o portugues por favor postem aqui para nós sabermos ou nos procure no facebbok sergio vergne… Obrigado! fiquem com Deus!

  5. Gostaria de saber, também, se alguém tem o livro: Quem moveu a pedra? De Frank Morison…E onde comprou? Para que eu possa comprar também, por favor!

    Obrigado.

  6. Querido Irmão! Graça e Pas

    Estou a procura deste livro tambem, mas acho que ele não esta tradusido para o portugues, caso voce saiba de algo por favor me mande um email ( savergne@gmail.com) e eu farei o mesmo se voce me mandar o seu contato. abraços

    sergio vergne

  7. O livro de Frank Morison não foi traduzido ainda para o português. Ele pode ser comprado na Amazon Books. Já li alguns capítulos em inglês e o livro é realmente muito interessante, analisando e colocando perguntas muito inteligentes. Seria ótimo se alguma editora no Brasil pudesse abraçar o projeto de tradução deste livro

  8. Seguindo o seu raciocinio, venho aqui expressar a necessidade de se traduzido para o português, trata-se de um livro, que nos revela o acontecimento e nos leva a pensar em um fato, tão importante ocorrido, na ressureição de Jesus Cristo, claro, que, o fato não aumenta nem diminui nossa fé, pois, sabemos que Ele vive, e para nós isto basta! Mas a titulo de conhcimento seria interessante conhecer-mos a linha de pensamento do autor…Deus os abençoe! E que alguma editora brasileira se convença disto. Abraços…

    Sérgio André Vergne

  9. Olá. Comprei o livro em inglês (através de uma tia que viajou aos EUA). Meu inglês é intermediário, e estou com dificuldades. Demoro quase 1 hora por página. Pausei a leitura, porque estou sem tempo, e sem paciência no momento para completá-lo. Tenho uma série de outros livros pra ler e minhas férias são curtas. Estou muito ansioso para alguma tradução para língua portuguesa,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s