Publicado em Comemorações, Livros, Reflexões

22 de Outubro de 1844 – O Grande Desapontamento II e The Day After

O que há de tão especial na data 22 de outubro de 1844 (e também 23 de outubro de 1844)?

Para entender este assunto tão importante, leia e reflita sobre estes dois desapontamentos:

O Grande Desapontamento I

O alerta teve início cerca de nove meses antes dos fatos: “Começou Jesus Cristo a mostrar a Seus discípulos que Lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto, e ressuscitado no terceiro dia”. S. Mateus 16:21

Mas no domingo antes de Sua morte, quando o povo contemplou Jesus montado sobre o jumento em cumprimento da profecia de Zacarias, certificou-se de que Ele estava em vias de estabelecer um reino terreno, expulsar os odiados romanos de seu meio e tornar Jerusalém, e não Roma, a capital do mundo. Claramente, Cristo tomou a iniciativa num emprendimento que deixou o povo com uma impressão bastante errada a Seu respeito, o que, em consequência, foi seguido por um trágico desapontamento.

Como poderia Cristo, o caminho, a verdade e a vida, tomar parte num engano tão premeditado? Como podia o Príncipe da Paz tão intencionalmente preparar o ambiente para a grande tristeza que se seguiu?

Ou tais perguntas são inadequadas? Era Jesus Aquele que “havia de redimir Israel”? Certamente! Ele era o Salvador do mundo inteiro! Era Jesus, sentado sobre o jumento, realmente um rei? Ele era o rei do Universo!

Então, quando Jesus levou o povo a vê-Lo como um rei, acaso o enganou? Logicamente, não!

Então, o que causou tanta confusão a respeito dEle e, pouco depois, tanto desapontamento? Foi a falta de compreensão da parte do povo.[…]

Cristo dificilmente poderia ter sido mais explícito! Por 4000 anos o céu fez seu melhor para impedir a incompreensão do povo e  consequente desapontamento! [Gênesis 3:15, passando pelos profetas Isaías, Daniel (Daniel 9, escrito 500 anos antes do nascimento de Cristo, revelara que no “meio” da última semana das setenta semanas de anos, o Messias seria “morto”) João Batista, o próprio Jesus…]

A despeito de tantas informações, os discípulos falharam em compreender a mensagem e após o grande desapontamento da crucifixão do fim de semana, Jesus fez a mais significativa revelação de Si mesmo, a mais esclarecedora explicação do que havia saído errado:

“Então lhes disse Jesus: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram! Porventura não convinha que o Cristo padecesse e entrasse na Sua glória? E, começando, por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha-lhes o que a Seu respeito constava em todas as Escrituras.” S. Lucas 24:25-27[…]

Ao fazê-lo, Cléopas e seu companheiro devem ter exclamado: “Já ouvimos isto centenas de vezes! Por que não entendemos antes?”

O Grande Desapontamento II

Depois de dedicar dias e noites inteiras ao estudo das profecias de Daniel (especialmente Daniel 8:14: “Até duas mil e  trezentas tardes e manhãs e o santuário será purificado.”), a prova das Escrituras tinha se tornado clara demais para Guilherme Miller e outros pesquisadores. Não se podia mais ignorar que os 2.300 dias terminariam no ano de 1844, e que o grande acontecimento representado pela purificação do santuário deveria ocorrer precisamente na data de 22 de outubro daquele ano.[Tenha sua Bíblia à mão para entender já já por que Miller tinha razão].

Para ter noção do clima de expectativa daqueles dias:

Não muito antes de 22 de outubro de 1844, Fitch (que voltara à fé pouco tempo antes, convencido pela exposição bíblica de Miller) batizou três grupos sucessivos de conversos ao ar livre num dia frio. Aparentemente, em consequência disto, adoeceu e, na segunda-feira, 14 de outubro, faleceu.

O periódico milerita, Midnight Cry relatou que “sua viúva e filhos órfãos estão agora em Cleveland, aguardando confiantemente a vinda de nosso Senhor para reunir os membros espalhados de sua família” em alguns poucos dias. “A irmã Fitch está…sorridente e feliz.”

Não é difícil imaginar os dois filhos sobreviventes perguntando em meio às lágrimas após o funeral: “Mamãe, nós veremos papai novamente?”

“Sim, queridos”, respondeu corajosamente a Sra. Fitch. “Em poucos dias, quando Jesus retornar, Ele despertará papai e seus irmãos adormecidos também, e então seremos uma família completa e feliz outra vez, para sempre!”

[15 de outubro, sete dias para o fim. 16 de outubro, seis dias. 17 de outubro. 18 de outubro. 19 de outubro.] Na noite de segunda feira, 21 de outubro, as crianças perguntaram: “Mamãe, amanhã tornaremos a encontrar papai?” “Sim queridos!”

Na terça-feira à noite, eles soluçaram: “Por que papai não veio hoje?” […]

Havia muitas famílias como essa naqueles dias. Com filhos ou jovens pais que tinham morrido de tuberculose, cólera, tosse comprida e outras doenças fatais, muitos antecipavam uma alegre reunião quando Jesus viesse novamente. Não é sem razão que 22 de outubro de 1844 passasse para a História como o dia do “grande desapontamento”.[…]

Vemos que a mensagem de Miller estava muito próxima da verdade. Quanto à literalidade da segunda vinda, ao tipo de preparação requerida, à importância vital de ganhar almas, e ao cálculo dos 2.300 dias, ele estava mais correto do que seus contemporâneos.

Ele estava errado somente em pensar que o santuário a ser purificado em Daniel 8:14 estava na Terra, e ao concluir que a purificação do santuário por parte de Cristo se cumpriria com Sua vinda à Terra para purificar o mundo e julgar a igreja como Rei dos reis.[…] Não cometeu erro maior do que o dos discípulos quando imaginaram que as profecias previam a vinda de Cristo como um rei no ano 31 AD. […]

Mas se assim é, por que Jesus não esclareceu a questão para Miller e certificou-se de que ele tinha a mensagem correta?

A resposta é que Ele tentou, tal como tentara com Seus próprios discípulos antes da primeira entrada triunfal. Expressões em Daniel 7, S. Lucas 12, Hebreus 8 e 9, Apocalipse 10 e Apocalipse 11, corretamente compreendidas, teriam impedido o desapontamento de 1844, tal como outros pensamentos no Velho Testamento poderiam ter poupado os discípulos de seu desapontamento.

Incompreensão Desfeita

[…] E a quem, onde e como Jesus primeiramente explicou a incompreensão depois do desapontamento?

Em 23 de outubro, na exata manhã que se seguiu a 22 de outubro, um ativo, mas quase desconhecido adventista, Hirã Edson, estava seguindo por um atalho num campo de milho em companhia de um amigo, quando de repente…[ver imagem acima] [Hirã Edson teve o lampejo que completou o quadro profético. Aqui, sugiro que tome sua Bíblia e, para começar a entender a profecia das 2300 tardes e manhãs e ter a a mesma compreensão que ele teve, estude com oração este (clique aqui) e os outros temas imediatamente subsequentes.]

[…] Em outras palavras, Jesus abriu-lhe a compreensão das Escrituras sobre as coisas concernentes a Si próprio. Hirã Edson foi o “Cléopas do milharal” do  adventismo, viajando pelo campo com um companheiro ao Cristo se aproximar deles!

O novo discernimento de Edson foi estudado e reestudado. A partir disso, no devido tempo, surgiu um grande novo movimento religioso mundial – a Igreja Adventista do Sétimo Dia. [A Igreja Adventista do Sétimo Dia foi oficialmente organizada em 1863. Saiba porque 1844 também é importante em relação a outros eventos mundiais aqui: 1844: coincidência ou providência?]

Texto montado com trechos dos capítulos 5 e 6 do livro História do Adventismo (pág. 35 a 46), de C. Mervyn Maxwell, não necessariamente na mesma sequência em que aparecem. Os trechos em cores nåo padrão nåo integram o livro.

3 comentários em “22 de Outubro de 1844 – O Grande Desapontamento II e The Day After

  1. Foi pelo estudo de “O Grande Desapontamento” de 1844, que fez-me um cristão firme nessa fé que uma vez foi entregue aos santos (Jd. 3), dia após dia e ano após ano, até que o Senhor volte, em Glória e Majestade. Amém!

  2. pessoal eu preciso de ajuda porque eu vou pregar com 10 anos sobre rachel oakes preston me ajudem

  3. Jamille,

    Só encontrei pequenas notas sobre Raquel Preston na Web. O livro Nossa Herança (pág. 25, item 5) mostra como ela apresentou a verdade a respeito do sábado aos pioneiros adventistas. Veja o link:

    https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=31&ved=0CCwQFjAAOB4&url=http%3A%2F%2Fwww.jovensamc.com.br%2Fwp-content%2Fplugins%2Fdownload-monitor%2Fdownload.php%3Fid%3D15&ei=6O9EUpS3B4OS9QTgs4BI&usg=AFQjCNEJuSXf_5tkwQao_l2tGYHs0T4A4A&sig2=GP2EWIQRLhW2km3wS52ZaA

    Espero que ajude na preparação da sua mensagem sobre o sábado e a história da igreja. Deus a abençoe.
    Um grande abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s