Publicado em Pensamentos, Perguntas e Respostas

Escolhendo o Caminho Certo: Por que Deus é a Causa Verdadeira?

     

     

    “De qual deus estamos falando?”, “se tudo que começa a existir tem uma causa, por que o seu Deus não tem uma?” são perguntas comuns que podem render algumas respostas extensas e outras nem tanto. As que seguem são respostas curtas, de Bill Pratt a um visitante do seu blog  Tough Questions Answered. Antes, porém, o contexto: “a ciência parece ter mostrado que o universo de fato teve um começo. Se esse é o caso, então o universo precisa de uma causa.”

     

    […] o universo precisa de uma causa, e esta causa não pode ser uma parte do universo, porque não há nada que possa causar a si mesmo.
    Então, de que tipo de causa estamos falando?
    Com base no argumento cosmológico [Tudo que começa a existir tem uma causa para sua existência. O universo começou a existir. Portanto, o universo tem uma causa da sua existência], podemos deduzir que esta causa do universo tem as seguintes propriedades: auto-existência, atemporalidade, não espacialidade, imaterialidade, poder inimaginável, e pessoalidade.

    Auto-existência porque o que quer que cause o universo deve em última instância ser não-causado. Se não for, então o argumento apenas se move um passo mais atrás. Tem de haver uma primeira causa não causada.
    Esta causa não pode existir no tempo/espaço/universo material, porque então existiria dentro do próprio universo que ele criou. Isso é impossível.
    A causa deve ser incrivelmente poderosa, porque criou o universo inteiro e todas as suas leis físicas.
    A causa deve ser pessoal, pois uma força impessoal seria determinista e mecanicista, não possuindo livre arbítrio. Um ser mecanicista opera apenas de acordo com a programação que recebeu de alguma outra coisa. Mas se a origem do universo recebeu a programação de alguma outra coisa, então de novo não encontramos a resposta para a causa do universo. Apenas encontramos um intermediário. A causa teve que fazer uma escolha para criar, e só seres que são pessoais podem fazer escolhas.
    Todos os atributos acima são atributos do Deus do Cristianismo. Isso não quer dizer que com isso provamos que o Deus específico do Cristianismo existe, mas temos, certamente, um argumento convincente de que um ser com algumas de suas qualidades existe.

     

    ***

    “Como pode ser verdade que “Tudo o que começa a existir tem uma causa” se você afirma que seu Deus existe, mas sem uma causa?”

    Porque Deus é eterno e nunca começou. A causa do universo espaço-tempo não pode existir no tempo, portanto, deve ser atemporal, ou eterno. O que é eterno nunca começou a existir, pois não requer uma causa. Algo deve existir eternamente, ou nos vemos fazendo a afirmação absurda de que o nada poderia fazer alguma coisa. Nós sabemos que o universo não tem existido sempre, por isso é descartado como algo eterno que sempre existiu. […] Veja bem, os dois (Deus ou o universo) sempre foram as duas principais soluções para o problema, e um deles foi eliminado.

    É fascinante que os teólogos teístas tenham falado por centenas de anos de um Ser eterno (Deus) que gerou o Universo  e, de repente, no século 20, os cientistas descobrem que o universo tem uma causa. Eles costumavam pensar que ele era eterno, mas agora sabemos que isso não é verdade.

    Gosto muito desta citação do renomado astrônomo agnóstico Robert Jastrow[…]:

    “Para o cientista que tem vivido pela fé no poder da razão, a história termina como um sonho ruim. Ele escalou as montanhas da ignorância; está prestes a conquistar o pico mais elevado e, quando se lança sobre a última rocha, é saudado por um grupo de teólogos que estão sentados ali há vários séculos.”

    […]”Os vários deuses que foram postulados para explicar a causa  são muitas vezes contraditórios e exclusivos, portanto não é possível que todos eles estejam corretos[…]  O que o faz certo de que seu conceito de Deus é o correto?”

    Essa é uma grande questão que eu só posso esboçar rapidamente aqui. Os argumentos cosmológico, teleológico e moral em defesa de Deus afastam o ateísmo (incluindo o humanismo secular, muitas formas do Budismo, etc) e o panteísmo (incluindo o hinduísmo, Nova Era, Ciência Cristã, etc) como candidatos. Isso deixa as religiões teístas (que têm um Deus Criador pessoal) ainda de pé. As três principais religiões teístas são Judaísmo, Islamismo e Cristianismo. A fim de decidir a partir destes três, nós olhamos para as afirmações de seus livros sagrados e analisamos as evidências históricas para determinar qual deles é o mais bem corroborado. No final, as reivindicações para Jesus como o Filho de Deus são mais bem atestadas historicamente, o que significa que o Cristianismo muito provavelmente é verdadeiro.

    ***

    Nota deste blog: Sobre algumas particularidades da palavra “provavelmente” na versão da última frase “Christianity most likely has it right” (versão aberta a aprimoramentos), ver esta explicação.
Anúncios

Um comentário em “Escolhendo o Caminho Certo: Por que Deus é a Causa Verdadeira?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s