Publicado em CIência, Notícias, Perguntas e Respostas, Reflexões

Os Dez Maiores Mitos Sobre Homossexualidade

300px Sexual orientation 4 symbols Top Ten Myths about Homosexuality Post #2 of 2010
O que dizem as pesquisas científicas quando o assunto é homossexualidade?

Tendo em vista alguns dados da realidade americana (embora os mitos possam atravessar fronteiras), o blog Tough Questions Answered (Bill Pratt) apresenta aqui o resumo de um panfleto, escrito pelo Family Research Council, intitulado Os Dez Maiores Mitos sobre Homossexualidade: “O panfleto é bem escrito e parece ser bem fundamentado, com abundantes citações de artigos científicos. Abaixo estão os dez mitos que são abordados no texto”:

Mito 1: As pessoas nascem homossexuais.

Fato: A pesquisa não mostra que alguém “nasce gay”, mas sugere, em vez disso, que a homossexualidade é o resultado de uma combinação complexa de fatores de desenvolvimento.

Mito 2: A orientação sexual não pode mudar.

Fato: Milhares de homens e mulheres têm testemunhado ter experimentado uma mudança na sua orientação sexual de homossexual para heterossexual. Pesquisas confirmam que tal mudança ocorre às vezes de forma espontânea, e às vezes como resultado de intervenções terapêuticas.

Mito 3: Os esforços para mudar a orientação sexual de alguém de homossexual para heterossexual são prejudiciais e antiéticos.

Fato: Não há evidências científicas de que os esforços de mudança criam mais danos do que o próprio estilo de vida homossexual em si. A verdadeira violação da ética ocorre quando é negada aos clientes a oportunidade de definir suas próprias metas para a terapia.

Mito 4: Dez por cento da população americana é gay.

Fato: Menos de três por cento dos adultos americanos se identificam como homossexuais ou bissexuais.

Mito 5: Homossexuais não experimentam um nível mais alto de distúrbios psicológicos que os heterossexuais.

Fato: Homossexuais experimentam consideravelmente níveis mais elevados de doença mental e abuso de substâncias do que os heterossexuais. Uma revisão detalhada da pesquisa mostrou que “nenhum outro grupo de tamanho comparável na sociedade experimenta patologias deste tipo em nível tão elevado e generalizado.”

Mito 6: A conduta homossexual não é prejudicial à saúde física.

Fato: Tanto por causa de padrões de comportamento de alto risco, como promiscuidade sexual, quanto por causa do dano ao corpo advindo de determinadas práticas sexuais, os homossexuais estão em maior risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis e outras formas de doenças e lesões do que os heterossexuais.

Mito 7: As crianças criadas por homossexuais não são diferentes das crianças criadas por heterossexuais nem sofrem danos.

Fato: Um enorme conjunto de programas de investigação em ciências sociais mostra que as crianças se desenvolvem melhor quando criadas pelos próprios pais biológicos que estão comprometidos um com um outro em um casamento duradouro. Pesquisas específicas sobre crianças de homossexuais têm grandes problemas metodológicos, mas mostram diferenças específicas.

Mito 8: Os homossexuais não são mais propensos a abusar de crianças do que os heterossexuais.

Fato: A porcentagem de casos de abuso sexual infantil em que homens molestam meninos é muitas vezes maior que a porcentagem de homens adultos que são homossexuais, e a maioria dos que se envolvem nesse tipo de abuso se identificam como homossexuais ou bissexuais.

[Nota explicativa do próprio folheto: Isso não significa que todos os homossexuais sejam molestadores de crianças. Ninguém jamais afirmou isso. Nem sequer significa que a maioria dos homossexuais o sejam – não há nenhuma evidência para apoiar isso. Mas há evidências de que a taxa relativa de abuso sexual infantil entre os homossexuais é muito maior do que entre heterossexuais.]

Mito 9: Homossexuais são seriamente desfavorecidos em razão de discriminação.

Fato: As pesquisas mostram que os homossexuais, na realidade, têm níveis significativamente mais altos de escolaridade do que o público em geral, enquanto as conclusões sobre os rendimentos dos que fazem parte desse grupo são, na pior das hipóteses, muito variadas.

Mito 10: As relações homossexuais são apenas as mesmas que os heterossexuais, exceto quanto ao gênero dos parceiros.

Fato: Os homossexuais são menos propensos que os heterossexuais a entrar em um relacionamento sério, a ser sexualmente fiéis a um parceiro, mesmo que tenham um, e a ficar comprometidos por toda a vida. Eles também apresentam taxas mais elevadas de violência doméstica do que os casais heterossexuais casados.

Peço que você leia o artigo inteiro para obter os detalhes por trás dessas afirmações, que são apoiadas por citações das pesquisas. O resumo é este: a ciência mostra que o estilo de vida gay é em geral destrutivo aos que vivem nele e não devemos, como sociedade, promovê-lo.

Isso significa que cada pessoa gay vivencia os problemas citados na pesquisa? Obviamente que não. Estamos lidando com estatísticas e probabilidades, por isso há pessoas absolutamente gays que são exceções às conclusões da pesquisa. No entanto, o movimento de união gay pede um apoio estatal ao seu estilo de vida, e a única maneira de abordar esta questão é olhar em termos estatísticos a realidade daqueles que praticam este estilo de vida.

20 comentários em “Os Dez Maiores Mitos Sobre Homossexualidade

  1. Michelson, vc foi muito infeliz em publicar esses absurdos!! Te admiro muito como profissional e talento, mas pelo lado do desrespeito as diferenças, vejo que suas publicações são incrivelmente “primitivas”. Enfim, que Deus o abençoe.

  2. leonardo,

    “De onde vc tirou tais absurdos”?

    O link para o panfleto original está no post. No original, em inglês, os itens são mais detalhados e as fontes das pesquisas são citadas (se for isso o que estiver sendo tomado como “absurdo”).

  3. “Michelson, vc foi muito infeliz em publicar esses absurdos!!
    Te admiro muito como profissional e talento, mas pelo lado do desrespeito as diferenças, vejo que suas publicações são incrivelmente “primitivas”. Enfim, que Deus o abençoe.”

    Meu caro Michael,

    Compartilho da mesma admiração, mas não, obviamente, do pensamento de que as publicações do Criacionismo (que reproduziu esta postagem) sejam “primitivas” (o conceito de “primitivo” e o fundamento para essa “catalogação” podem se tornar muito subjetivos).
    Lá e aqui não promovemos o desrespeito às pessoas (embora diferenças de visão ou de cosmovisão sejam algumas vezes inevitáveis).

    As mais ricas bençãos de Deus sobre você e sua família.

  4. Qual o objetivo disso?
    Fazer com que os homossexuais se sintam ainda mais mal em serem o que são?

  5. hunn, vc michelson tá querendo dar uma de Malafaia é!!!! rsrrsrsrrsrsr olhe ao seu redor na sua igreja e veja o que eu estou dizendo!!!!!!!

  6. “Qual o objetivo disso?
    Fazer com que os homossexuais se sintam ainda mais mal em serem o que são?”

    Yuri, o objetivo é informar de forma geral. Considerando que a questão está na pauta da sociedade como um todo (aqui e fora do país), o post contém informações que considero relevantes e interessantes para quem acompanha a discussão do assunto sob qualquer ponto de vista.

  7. Bom eu acredito que essa pesquisa e uma realidade e que as pessoas não devem ficar tão horrorisadas pelo resultado e com essa realidade as pessoas pensem mais antes de envolver nesse mundo de pecado que é o homossexualismo

  8. Creio serem boas publicações como essa Michelson!Discordo plenamente de alguns comentários que dizem que você foi infeliz ao publicar esse artigo.Penso que são informações bastante relevantes e, principalmente, necessárias para esclarecimento e repulsão de qualquer dúvida que haja sobre esse assunto.Continue publicando artigos do gênero e que o Senhor te abençoe muito meu amigo!

  9. Sobre a origem da orientação sexual humana recomendo a leitura do trabalho de mestrado realizado por Aline Beckmann, especialmente o último capítulo, pois me pareceu de uma clareza, imparcialidade e objetividade dignas do tema. Leiam e reportem suas impressões. Segue um trecho deste capítulo e o link para o trabalho:
    “A orientação sexual humana é um tema que envolve um grande número de áreas
    científicas distintas, o que dificulta o seu estudo. No que se refere mais especificamente à
    discussão acerca dos seus determinantes, a orientação sexual humana acaba por envolver
    ainda mais aspectos. Isto porque, na cultura ocidental atual, este debate está associado a
    questões sócio-políticas, como a discussão de direitos civis e o preconceito social. A
    confluência de diferentes perspectivas e interesses na análise de um único tema acaba por
    ocasionar a ocorrência de falhas metodológicas, teóricas e éticas”. – Menezes, Aline Beckmann (2005). Análise da investigação dos determinantes do
    comportamento homossexual humano. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação
    em Teoria e Pesquisa do Comportamento. Universidade Federal do Pará. Belém – PA. 339 pp.

    http://www.ufpa.br/ppgtpc/dmdocuments/MESTRADO/ALINE.pdf

  10. Querido, eu como cientista, afirmo o que cristiano fez, citou o artigo (olu tese no caso) e o referenciou, no meio científico, é INDISPENSÁVEL, que tudo aquilo que você fale tenha embasamento em artigos, não adianta dizer “as pesquisas apontam” ou “um grande número”.

    Digo isso para que possa ter validade o que você disser, caso realmente tenha alguma base científica, responda para meu e-mail!

    “Aqueles que querem flertar com a ciência, tem que fazê-lo da maneira correta, para não se passar por imbecis”

    e outra para cada artigo, não acredite em tudo, uma pesquisa mais funda tem de ser feita para que possam ser feitas comparações!!! Mas estou realmente interessado nesse material que o senhor afirma ter, pelo visto o senhor gastou muito tempo em pesquisas… espero que elas tenham sido feito corretamente!

  11. Falo isso, de maneira nenhuma para tirar o crédito de seus fatos, pelo contrário, para o senhor podê-los afirmar de maneira correta, e não haver mal entendido para a população…
    E além do mais eu já ouvi Barbaridades de Pastores que falaram coisas que leram em e-mails e disseram: AS PESQUISAS DIZEM. O senhor está num papel fundamental perante o rebanho, tome cuidado com cada palavra que sai da sua boca

    Deus abençoe!!!

  12. Wagner,

    Este post é apenas a versão dos tópicos de um folheto sobre o assunto. Há um link, disponível no próprio post, que aponta para o folheto original, onde as referências dos artigos e das revistas são citadas e podem ser checadas.

    Não acreditar em tudo que popularmente traz o rótulo de “científico” é um conselho que tenho procurado seguir. Ainda assim, nunca é demais lembrar isto, o cuidado que você mencionou como fundamental.

    Agradeço a contribuição do Cristiano e o seu lembrete.
    Muito obrigado.

    Deus o abençoe!

  13. Excelente artigo!

    Obrigado!

    E aos demais, cabe dizer que a democratização da opinião ainda existe!
    Respeitem!

  14. Ótima publicação pois traz mais informações acerca do parece já um “tabu” para muitos, pois este assunto não está fechado e ainda precisa de mais discussões e principalmente ver os dois lados! Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s