Publicado em Comemorações, Livros, Pensamentos, Pesquisas, Reflexões

Fatos Curiosos da Bíblia

A Bíblia é um conjunto de escritos, de mais ou menos 40 pessoas, entre profetas e apóstolos inspirados pelo Espírito Santo, que viveram em tempos diversos durante um período de 1.500 anos. Os Dez Mandamentos da Lei de Deus foram escritos pelo próprio dedo de Deus em duas tábuas de pedra. A Bíblia foi o primeiro livro impresso por Johannes Gutenberg na Alemanha, em 1456. O menor verso está em Êxodo 20:13 e o maior em Ester 8:9. O maior capítulo é o Salmo 119 e o menor é o 117. O verso que se encontra no meio da Bíblia é o Salmo 118:8. A palavra Jeová ou Senhor aparece mais de 45.000 vezes. O Senhor Jesus, como Salvador, 16 vezes. Como Mestre, 64 vezes. Como Senhor, 650 vezes.

A última oração pronunciada na Bíblia é: “Vem, Senhor Jesus.” Apoc. 22:20. O nome Jesus aparece por volta de 1.000 vezes no Novo Testamento, e o nome Cristo 500 vezes. A palavra sábado é mencionada 40 vezes no Antigo Testamento, e 55 no Novo. A palavra imortal só se encontra uma vez em toda a Bíblia (I Tim. 1:17), e isto em relação a Deus. Não há nenhuma única passagem em toda a Bíblia que fala em alma ou espírito imortal. O porco é mencionado 6 vezes no Antigo Testamento e 13 no Novo. O Dr. Lucas, no seu Evangelho, faz menção dele 6 vezes. Em todos os textos ele é citado como animal imundo e impróprio para a alimentação.

O dízimo é mencionado 9 vezes no Novo Testamento, e sempre como consagrado a Deus. Há três ordenanças cerimoniais mencionadas e válidas para a observância da igreja cristã: o Batismo, a Ceia do Senhor e o Lava-pés. Esta última é a única que tem a palavra bem-aventurada. A Bíblia declara 2.008 vezes que Deus é o seu Autor. A Bíblia chama a segunda vinda do Senhor de “A Bem-aventurada Esperança”, e no Novo Testamento há mais de 300 passagens que apontam para esse glorioso dia. Existem mais de mil diferentes promessas no Livro de Deus e um “não temas” para cada dia do ano.

Lutero declarou: “A Bíblia e somente a Bíblia deve ser o fundamento de nossa fé e da religião verdadeira.” E a própria Bíblia afirma: “Porque toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver.” II Tim. 3:16.

Pr. Geraldo Marski (Quando Tudo Dá Certo)
Anúncios

11 comentários em “Fatos Curiosos da Bíblia

  1. Quantas vezes a palavra amor é meniconada no antigo e no novo testamento?

  2. Muito interressante, gosei mesmo, siimples sem muitoss rodeios direto no ponto

  3. Paulo em sua epístola aos colosensses afirma ter enviado uma epistola aos Laodicenses.
    Agora eu pergunto: Se todas as cartas de Paulo foi escrita por Deus, pq a de laodicéia não consta na Bíblia? Ela deveria estar lá, não acha?
    O mal dos cristãos de hoje é querer enfiar a bíblia Guela abaixo nas pessoas sem que elas pensem ou questionem. A bíblia é um livro que conta a historia de um povo e suas relações com Deus (ou Deuses). Se fosse isso mesmo que você citou no texto a compreensão dela seria unanime, mas pelo contrário, cada um interpreta de um jeito e se acha dono da verdade para proferir o que não conseguem provar.

  4. A alma do homem ou viverá no céu ou no inferno, portanto, é imortal.

  5. “A alma do homem é imortal”

    Embora haja muitas “crenças” populares sobre o assunto, a Palavra de Deus apresenta um quadro claro e distinto delas (há postagens no blogue que tratam deste tema importante).
    De modo geral, o que ela ensina é que: 1) o ser humano não TEM uma alma, e sim É uma alma (alma = pessoa/ser vivo, e esta alma – pessoa/ser vivo – é mortal: “A alma que pecar, essa morrerá.” Ezequiel 18:4); 2) A morte (término/ausência da vida) é uma realidade, resultado do pecado humano, e é adequadamente retratada pelo verbo “dormir” ou pelo substantivo “sono” (inconsciência/inexistência de qualquer atividade); 3) Sem esconder a realidade da morte, Deus proveu em Cristo uma solução não menos real para ela: a ressurreição futura (na segunda vinda de Cristo) de todos os mortos que aceitarem a salvação (justificação pela fé) oferecida por Ele, em todos os tempos. 4) Na ocasião desses eventos (segunda vinda de Cristo, ressurreição/glorificação dos justificados e transformação/glorificação dos vivos), então sim, para os salvos, o “mortal” será revestido de “imortalidade” (I Coríntios 15:22-23) (I Coríntios 15:51-54) (I Tessalonicenses 4:13-18).

    https://lerpracrer.wordpress.com/2011/09/02/deus-e-imortal-portanto-o-homem-tambem-e-imortal/

    https://lerpracrer.wordpress.com/2010/06/03/hans-kelsen-a-biblia-e-a-imortalidade-da-alma/

  6. “A alma do homem ou viverá no céu ou no inferno, portanto, é imortal.”

    As premissas não conseguem “gerar” a conclusão apontada (“portanto, é imortal”). Este “link” mostra exemplo de falha lógica semelhante: https://lerpracrer.wordpress.com/2011/09/02/deus-e-imortal-portanto-o-homem-tambem-e-imortal/

    A Palavra de Deus apresenta conceito de “alma” diferente da visão popular (na Bíblia, alma = pessoa/ser vivo, e é mortal), além de aplicar noções diferentes de “eternidade” (de acordo com o idioma original), a depender da natureza do objeto adjetivado como “eterno”, o que resulta em que “céu” e “inferno” não possuem a mesma “duração”.
    Sobre “fogo eterno”, ver aqui:
    http://leandroquadros.com.br/wp-content/uploads/2017/03/O-Inferno-de-Fogo-.pdf

    [Reaproveitando o comentário feito anteriormente]

    Embora haja muitas “crenças” populares sobre o assunto, a Palavra de Deus apresenta um quadro claro e distinto delas (há postagens no blogue que tratam deste tema importante).
    De modo geral, o que ela ensina é que: 1) o ser humano não TEM uma alma, e sim É uma alma (alma = pessoa/ser vivo, e esta alma – pessoa/ser vivo – é mortal: “A alma que pecar, essa morrerá.” Ezequiel 18:4); 2) A morte (término/ausência da vida) é uma realidade, resultado do pecado humano, e é adequadamente retratada pelo verbo “dormir” ou pelo substantivo “sono” (inconsciência/inexistência de qualquer atividade); 3) Sem esconder a realidade da morte, Deus proveu em Cristo uma solução não menos real para ela: a ressurreição futura (na segunda vinda de Cristo) de todos os mortos que aceitarem a salvação (justificação pela fé) oferecida por Ele, em todos os tempos. 4) Na ocasião desses eventos (segunda vinda de Cristo, ressurreição/glorificação dos justificados e transformação/glorificação dos vivos), então sim, para os salvos, o “mortal” será revestido de “imortalidade” (I Coríntios 15:22-23) (I Coríntios 15:51-54) (I Tessalonicenses 4:13-18).

    https://lerpracrer.wordpress.com/2010/06/03/hans-kelsen-a-biblia-e-a-imortalidade-da-alma/

  7. Quantas vezes a palavra amor é mencionada no antigo e no novo testamento?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s