Publicado em ciência, Notícias, Testemunhos

O Rei Davi e a Arqueologia

David inscrição a partir de Dan. Próximo Oriente foto Arqueologia.

OK, tudo o que eu tinha encontrado estabelecia que os israelitas primitivos de fato existiram. No entanto, há uma grande diferença entre generalidades históricas e pessoas e acontecimentos específicos mencionados na Bíblia. Por exemplo, o rei Davi e seu filho Salomão são grandes partes da história judaica no Antigo Testamento. Não deveríamos encontrar algo na arqueologia de Israel que sustente o seu reinado e suas atividades também?

Em um dos livros que peguei, fiquei surpreso ao ler que o Davi histórico nunca tinha existido. Outro artigo que li mencionou o bem estabelecido “Mito de Davi” – uma invenção literária extraída da tradição heroica para estabelecer a monarquia judaica…

Kathleen Kenyon, uma arqueóloga muito respeitada em quem cheguei a confiar e de quem gostava, declarou:

Para muitas pessoas parece estranho que Davi e Salomão ainda permanecem desconhecidos fora do Antigo Testamento ou de fontes literárias dele diretamente derivadas. Nenhuma inscrição extra-bíblica, ou da Palestina ou de um país vizinho, tem sido achada que contenha uma só referência a eles.9

Bem, não acho que temos que encontrar evidências arqueológicas para cada pessoa e lugar mencionado na Bíblia, mas Davi era muito importante para mim. Descobri que ele é mencionado 1.048 vezes na Bíblia – o sujeito de 62 capítulos e o escritor de provavelmente 73 salmos do Antigo Testamento. Nossa, eu realmente queria achar alguma evidência da sua existência …

Sabem de uma coisa? Desde que Kenyon fez a declaração acima em mais ou menos 1987, a validade do registro bíblico antigo sobre o Rei Davi tem crescido grandemente!

Em 1993, os arqueólogos descobriram uma inscrição de pedra na antiga cidade de Dã que se refere à “Casa de Davi”. A Inscrição da Casa de Davi (Inscrição de Tel Dan) é a primeira referência ao antigo rei Davi fora da Bíblia.10 Especificamente, essa pedra é um pilar de vitória de um rei em Damasco, datado de cerca de 250 anos após o reinado de Davi, que menciona um “rei de Israel da Casa de Davi”. Nos meses a seguir, mais pedaços de inscrição foram descobertos no local, permitindo que os arqueologistas reconstruíssem por completo a seguinte declaração: “Eu matei Jorão, filho de Acabe, rei de Israel, e eu matei Acazias, filho de Jeorão, rei da Casa de Davi”. Surpreendentemente, estes são os líderes judeus ligados à linhagem de Davi, conforme registrado na Bíblia.11

A arqueologia de Israel revelou-se poderosa!

História de Israel

A história de Israel continua a seguir adiante… Evento após evento… Referência após referência… O registro bíblico da “história de Israel” nunca me desiludiu…

As derrotas de Samaria e Asdode a Sargão II, rei da Assíria, como registrado nas paredes de seu palácio.1 A campanha militar do rei assírio Senaqueribe contra Judá, como registrado no Prisma Taylor.2 O cerco de Laquis por Senaqueribe, como registrado nas Cartas de Laquis.3 A destruição de Nínive como predito pelos profetas Naum e Sofonias, como registrado no Tablete de Nabopolasar.4 A derrota de Jerusalém por Nabucodonosor, rei de Babilônia, como registrado nas Crônicas da Babilônia.5 O cativeiro babilônico de Joaquim, rei de Judá, como registrado no Registro Babilônico.6 A derrota babilônica pelos medos e persas, como registrado no Cilindro de Ciro.7 A libertação dos cativos judeus na Babilônia por Ciro, o Grande, como registrado no Cilindro de Ciro.8

O palácio de Jericó onde Eglom, rei de Moabe, foi assassinado por Eúde. O portão a leste de Siquém onde Gaal e Zebul assistiram as forças de Abimeleque abordar a cidade. O Templo de Baal em Siquém, onde os cidadãos de Siquém se refugiaram quando Abimeleque atacou a cidade. A piscina de Gibeão, onde as forças de Davi e Is-Bosete lutaram pela realeza de Israel. O palácio real em Samaria, onde os reis de Israel viveram. A piscina de Samaria, onde a carruagem do rei Acabe foi lavada após sua morte. O túnel de água, abaixo de Jerusalém, escavado pelo rei Ezequias para prover água durante o cerco assírio. O palácio real de Babilônia onde o rei Belsazar realizou a festa e Daniel interpretou a escrita na parede. O palácio, porta e praça em Susa, onde os eventos de Ester, a rainha do rei persa Xerxes, e Mardoqueu, seu primo, aconteceram.9

Puxa vida! Apenas um século e meio atrás, os acadêmicos europeus do “Século das Luzes” declararam que a Bíblia (especialmente o Antigo Testamento) era uma história fictícia. Seu argumento principal era o de que certos impérios, como o dos hititas, e reis, como Davi, realmente não existiram. Bem, agora temos “apoio arqueológico” dramático para a sua existência! Além disso, nos últimos anos os achados arqueológicos têm aumentado dramaticamente! Portanto, se a razão para a rejeição das escrituras do Antigo Testamento foi a falta de evidências históricas e arqueológicas, não deve a mesma lógica existir para validar o registro do Antigo Testamento, agora que estamos encontrando tais evidências?

Embora o conflito geral no Oriente Médio tenha diminuído um pouco os esforços arqueológicos, a confiabilidade da Bíblia como um documento histórico continua a ser confirmada no campo da arqueologia a cada dia. Embora a ausência de evidências arqueológicas não signifique necessariamente a ausência do povo, lugar ou evento, pode-se afirmar enfaticamente que nenhuma descoberta arqueológica jamais refutou uma referência bíblica.

Dr. Nelson Glueck, provavelmente a maior autoridade em arqueologia israelita, disse:

Nenhuma descoberta arqueológica jamais contradisse uma única referência bíblica. Dezenas de achados arqueológicos têm sido feitos que confirmam, em linhas gerais ou detalhes exatos, afirmações históricas na Bíblia. E, pela mesma avaliação, um estudo próprio de descrições bíblicas tem geralmente levado a surpreendente descobrimentos.10

Para mim, o estudo da história e arqueologia de Israel estava realmente se tornando uma viagem inesperada e emocionante…

1 Hoerth, Archaeology and the Old Testament, 342-343. Veja 2 Reis 17:3-6, 24; 18:9-11 e Isaías 20:1.
2 Price, The Stones Cry Out, 272. Veja 2 Reis 18:13-16.
3 Ibid., 79-81. Hoerth, Archaeology and the Old Testament, 351. Veja 2 Reis 18:14, 17.
4 Bryant Wood, Associates for Biblical Research, 2001, http://www.christiananswers.net/q-abr/abr-a009.html. Veja Naum 3:7 e Sofonias 2:13-15.
5 Price, The Stones Cry Out, 232-233. Veja 2 Reis 24:10-14.
6 Wood, Associates for Biblical Research,http://www.christiananswers.net/q-abr/abr-a009.html. Veja 2 Reis 24:15-16.
7 Price, The Stones Cry Out, 250-252. Veja Daniel 5:30-31.
8 Ibid. Veja Esdras 1:1-4; 6:3-4.
9 Bryant Wood, Associates for Biblical Research, 1995-2001, http://christiananswers.net/q-abr/abr-a005.html; http://christiananswers.net/q-abr/jericho.html. Citações bíblicas, em ordem: Juízes 3:15-30; Juízes 9:34-38; Juízes 9:4, 46-49; 2 Samuel 2:12-32; 1 Reis 20:43; 21:1, 2; 22:39; 2 Reis 1:2; 15:25; 1 Reis 22:29-38; 2 Reis 20:20; 2 Crônicas 32:30; Daniel 5 e o livro de Ester.
10 Nelson Glueck, Rivers in the Desert, Farrar, Strous and Cudahy, 1959, 136.

Fonte: A Jornada (Randall Niles)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s