Publicado em Filmes, Livros, Notícias, Reflexões, Revistas, Testemunhos, Uncategorized

Biografia de herói que inspirou filme indicado ao Oscar é lançada no Brasil

 

Andrew-Garfield-in-Hacksaw-Ridge-2016-1-800x533

A editora Casa Publicadora Brasileira lançou, ainda no ano passado (2016), a versão em língua portuguesa da biografia de Desmond Doss escrita por Frances M. Doss, segunda esposa do veterano de guerra que inspirou o filme “Até o último homem”, indicado a 6 Oscars em 2017. Leia o artigo “Herói improvável”, publicano na Revista Adventista (e a Entrevista com o próprio Desmond Doss, de 1987).

CPB lança biografia do herói adventista da II Guerra Mundial.

Pequena resenha/apresentação da editora:

“Senhor, ajuda-me a salvar mais um.”

A artilharia pesada em Okinawa multiplicava as vítimas, mas não intimidou Desmond Doss, soldado e homem de fé. Com a coragem e a força da oração acima, ele se recusou a procurar abrigo e carregou, um por um, seus companheiros caídos até um local seguro. Em aproximadamente cinco horas ele resgatou todos os 75 feridos naquele ataque. Este e outros atos heroicos fizeram com que ele recebesse a mais alta distinção que se pode conferir a um soldado norte-americano: a Medalha de Honra.
Porém, sua história não termina em 1945. Houve muitas outras batalhas e vitórias para o homem conhecido como “o mais improvável dos heróis”. Este livro conta cada uma delas.
Da infância marcada por acidentes à bravura na Segunda Guerra Mundial, da trágica perda de sua esposa Dorothy às batalhas contra a surdez e o câncer, Desmond Doss viveu com devoção insuperável. Devoção a seu país, a suas convicções e, acima de tudo, a seu Deus.

Detalhes do produto

Formato: 14.0 x 21.0 cm
Número de páginas: 176
ISBN: 978-85-345-2353-0
Acabamento: Brochura

Fonte (e “site” para adquirir o livro): CPB

Observação: Assim como Desmond Doss, funcionários da Casa Publicadora Brasileira (editora adventista) guardam o sábado. A compra de produtos no “site” só é possível fora das horas do sétimo dia bíblico, que começa ao pôr do sol de sexta-feira e termina ao pôr do sol de sábado.

Publicado em Eventos, Filmes, Livros, Notícias, Política

Declaração da Igreja Adventista sobre a Pré-candidatura de Ben Carson

Nota do editor (Megaphone Adv): A Divisão Norte-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia lançou esta declaração sobre o anúncio de 4 de maio do Dr. Ben Carson, neurocirurgião aposentado e membro adventista, que vai buscar a nomeação do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos.
No momento em que o ciclo eleitoral de 2016 dos Estados Unidos começa, a Igreja Adventista do Sétimo Dia está ciente do aumento do interesse na candidatura presidencial do Dr. Ben Carson.
A história do Dr. Carson é bem conhecida para a maioria dos adventistas, e ele é um médico muito respeitado.
A Igreja Adventista tem uma posição de longa data de não apoiar ou se opor a qualquer candidato a cargo eletivo. Esta posição baseia-se igualmente sobre a nossa posição histórica da separação entre igreja e estado, e sobre a lei federal aplicável em matéria de isenção de impostos da igreja.
Enquanto os membros da igreja individualmente são livres para apoiar ou se opor a qualquer candidato a cargo como entenderem, é crucial que a igreja, como uma instituição, permaneça neutra em relação a todos os candidatos a cargos. Cuidados devem ser tomados para que o púlpito e toda a propriedade da igreja continuem a ser um espaço neutro quando se trata de eleições. Os funcionários da igreja também devem exercitar extremo cuidado para não expressar pontos de vista em sua competência denominacional sobre qualquer candidato a cargo, incluindo o Dr. Carson.
Também queremos lembrar aos nossos membros da igreja, pastores e administradores da posição oficial da Igreja sobre a separação entre igreja e estado. A igreja tem trabalhado diligentemente para proteger os direitos religiosos de todas as pessoas de fé, não importando sua filiação denominacional.
“Devemos, portanto, trabalhar para estabelecer a robusta liberdade religiosa para todos, e não devemos usar nossa influência para com os líderes políticos e civis, quer seja para avançar nossa fé ou inibir a fé dos outros. Os adventistas devem tomar responsabilidades cívicas seriamente. Devemos participar do processo de votação disponíveis para nós, quando possível de forma consciente, e devemos compartilhar a responsabilidade de construir nossas comunidades. Os adventistas não devem, no entanto, tornar-se preocupados com a política, ou utilizar o púlpito ou nossas publicações para promover teorias políticas.” (A partir de uma declaração oficial da Igreja Adventista do Sétimo Dia, adotada pelo Conselho de Relações Inter-religiosas/Intereclesiásticas da Igreja Adventista do Sétimo Dia em março de 2002)
 A Igreja Adventista do Sétimo Dia valoriza o Dr. Carson, como fazemos com todos os membros. No entanto, é importante para a igreja manter o seu apoio histórico de longa data da separação entre igreja e estado, para não defender ou se opor a qualquer candidato.
Com informações de Adventist Review
Fonte: Megaphone Adv
Publicado em Notícias, Perguntas e Respostas, Reflexões, Revistas

Revista Adventista Lança Aplicativo para Tablets

image

Já está disponível para download o aplicativo da Revista Adventista. A versão do periódico para tablets foi desenvolvida para os sistemas operacionais Android e iOS. Agora, além de poder “folhear” virtualmente a edição impressa, como já podia ser feito por meio do acervo online, o internauta terá a possibilidade de acompanhar notícias do mundo religioso, bem como do contexto adventista brasileiro e internacional.

A iniciativa foi elogiada por internautas que baixaram a ferramenta. “Perfeito. Muito bom o app. Com certeza será um bênção a todos os leitores”, avaliou Paulo Ribeiro na loja do Google. “Já gosto de ler a Revista Adventista. Agora, também pelo celular, vai ser muito bom!”, comentou Raquel Luz no Facebook.

Para Marcos De Benedicto, editor da RA, com a nova opção, “nossos leitores poderão usufruir a edição impressa no conforto da sala de estar ou conferir a versão digital na tela do tablet durante uma viagem”. “É bom poder escolher”, ressalta.

É possível baixar ambas as versões clicando abaixo:

Revista Adventista para Android
Revista Adventista para Apple (iOS)

Fonte: Revista Adventista

Publicado em Livros, Notícias, Reflexões, Testemunhos

“Eu Não Morri. Eu Não Fui para o Céu”

Uma editora cristã vai parar de vender o livro “The Boy Who Came Back from Heaven” [O garoto que voltou do céu], agora que o personagem, jovem que ficou paralítico em um acidente de carro, disse que a história de ir para o céu não é verdadeira.

A editora Tyndale House afirmou tanto à NPR quanto ao The Washington Post que vai retirar de circulação o best-seller de 2010, escrito por Alex Malarkey e o pai dele, Kevin Malarkey.
A editora tomou a decisão depois que Alex escreveu uma “carta aberta” à distribuidora LifeWay, na qual afirma: “Eu não morri. Eu não fui para o Céu.” A carta foi postada no site Pulpit and Pen.

O livro de Malarkey é um de uma série de best-sellers sobre pessoas que afirmam ter ido para o céu e depois voltado. O mais conhecido é “Heaven is for real” [O céu é real], de Todd Burpo, best-seller número 1 do USA Today que foi transformado em filme.

“The Boy Who Came Back from Heaven” [O garoto que voltou do céu] alcançou a posição número 46 na lista do USA Today.

Segundo a descrição da editora do livro, “em 2004, Kevin Malarkey e seu filho de 6 anos de idade, Alex, sofreram um terrível acidente de carro. O impacto do acidente deixou Alex paralisado – e, em termos médicos, era improvável que ele pudesse sobreviver. ‘Eu acho que Alex partiu para estar com Jesus’, um amigo disse ao pai aflito. Mas dois meses depois, Alex acordou do coma com uma história incrível para compartilhar. Sobre eventos na cena do acidente e no hospital, enquanto ele estava inconsciente. Sobre anjos que o levaram através dos portões do próprio céu”.

Mas, em sua carta aberta, Alex escreveu: “Eu disse que fui para o céu porque pensei que iria chamar a atenção. Quando fiz as declarações que fiz, eu nunca tinha lido a Bíblia. As pessoas têm lucrado com mentiras, e continuam a lucrar… Elas devem ler a Bíblia. Ela é suficiente. A Bíblia é a única fonte da verdade. Qualquer coisa escrita pelo homem não pode ser infalível.”
Ele também disse: “Por favor, perdoem a brevidade (da carta), mas por causa das minhas limitações (médicas), eu tenho que mantê-la curta.”

Fonte: DeseretNewsNational

Nota deste blogue:

“Eu nunca tinha lido a Bíblia”. A falta de estudo da Bíblia tem levado muitas pessoas (cristãos inclusive) aos mais variados (e populares) enganos em relação à morte. Os que leem a Palavra de Deus, porém, sabem que ela faz distinção muito clara entre o estado dos que estão vivos e o dos que já “dormiram” (expressão da própria Bíblia): “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma” Eclesiastes 9:5; “Os mortos não louvam o SENHOR…” Salmos 115:17 “A sepultura não te pode louvar…Os vivos, somente os vivos, esses te louvam como hoje eu o faço” Isaías 38:18-19. Além de nos alertar do perigo dos falsos ensinos e de “sinais e prodígios da mentira”, a Palavra de Deus nos assegura que a situação dos mortos [de inexistência e, obviamente, inconsciência] permanecerá inalterada até o momento futuro de restauração e julgamento – a ressurreição: “Não fiquem admirados com isto, pois está chegando a hora em que todos os que estiverem nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão…Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.” João 5:28 e 29; 6:40).

Como afirmado acima pelo personagem que se retratou, os cristãos devem se voltar para a Bíblia. Nela encontrarão luz suficiente e forças para aguardar a verdadeira e “bendita esperança”, quando “o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão…” 1 Tessalonicenses 4:16.

Publicado em Games, Notícias, Pesquisas, Tecnologia, Televisão, Vídeos

Game “Profecias para Crianças”

Game Daniel 2

A Rede Novo Tempo de Comunicação criou recentemente um novo segmento de atuação visando atingir o público mais jovem, que já interage na Internet, mas que também domina outras tecnologias como a de jogos para computador e dispositivos móveis.

Pesquisas recentes demostram que mais 68% das pessoas que jogam tem menos de 18 anos[1]. Vários especialistas indicam que nos próximos anos os games provavelmente perderão o aspecto de ser um problema e ganharão status de ferramenta educacional. [2]

Diante dessa nova realidade a Novo Tempo está buscando apresentar a mesma mensagem de esperança que já é característica da NT, mas agora num formato diferenciado e numa linguagem mais compreensível para crianças e adolescentes.

Agora no início de 2015 estará sendo lançado o game Profecias para Crianças (em português e em espanhol) que tem como objetivo ensinar as mensagens proféticas da Bíblia de um jeito que as crianças possam entender mais facilmente. A primeira profecia será a de Daniel 2.  No game a criança poderá interagir com os atores da história e aprender o significado da estátua. Os usuários de dispositivos com Android já podem acessar pesquisando na loja de aplicativos Google Play por “Profecias para Crianças”. Para dispositivos Apple IOS estará disponível no ITunes.

“Ainda estamos na fase de adaptação e aprendizado, mas acreditamos que a medida em que formos evoluindo nessa área teremos mais jogos e com capacidade de atingir outras faixas etárias, mas sempre com o objetivo de levar a mensagem de  esperança e salvação”, afirma Carlos Magalhães responsável pelo departamento de Web da NT.

Se você quiser conhecer outros jogos experimentais da Novo Tempo, pode acessar http://novotempo.com/games

 Fonte: Novo Tempo

Publicado em Filmes, Livros, Notícias, Reflexões

“Deixados para Trás” ou “Como o Fim não Será”?

The official movie poster for "Left Behind" starring Nicolas Cage

 

Os eventos finais da história do mundo são tema naturalmente relevante para os cristãos. Os que estudam a Bíblia sabem que, assim como qualquer outro assunto doutrinário, a escatologia (estudo das profecias referentes aos últimos dias) exige cuidadosa atenção: cenários prognósticos propagados em livros e filmes como “bíblicos” precisam ser avaliados tendo realmente as próprias declarações das Escrituras como parâmetro. Por exemplo: uma volta “invisível” de Jesus Cristo e outros elementos da “história” do fim dos tempos contada na série popular “Deixados para Trás” (livros, filmes e agora refilmagem hollywoodiana com Nicolas Cage no papel principal) têm as “credenciais bíblicas”?

Uma análise mais ampla das falhas escatológicas da série pode ser conferida no livro de Dwight K. Nelson “Ninguém será deixado para trás” (se preferir assistir a um vídeo sobre o assunto, clique aqui). Já uma visão crítica resumida é esta (notícia abaixo) apresentada por William Craig antes mesmo do lançamento do “remake” cinematográfico [Concordo com esta exposição de Craig, especialmente quando tomo a liberdade de acrescentar o detalhe importante entre colchetes: “arrebatamento” = “arrebatamento secreto”]:

Vários meses antes de “Left Behind”/“Deixados para Trás” estrear nos cinemas, um proeminente filósofo cristão está lembrando à igreja americana que as alegações do filme sobre o arrebatamento [“secreto”] são falsas.

Esta doutrina não é realmente encontrada no livro do Apocalipse. Se você ler o livro do Apocalipse, não vai encontrar nenhuma menção ao arrebatamento [“secreto”] lá”, disse William Craig, professor e pesquisador de filosofia da Talbot School of Theology e professor de filosofia da Houston Baptist University.

Em vez disso  afirma Craig, a idéia do arrebatamento [“secreto”] vem de uma má interpretação de 1 e 2 Tessalonicenses, onde Paulo está descrevendo a vinda do Senhor e a ressurreição dos mortos, que ocorrerá na Sua vinda“.

Se você comparar o que Paulo diz com o que Jesus diz sobre o fim dos tempos, Paulo usa o mesmo vocabulário, a mesma fraseologia. Acho que é muito plausível que Paulo está falando sobre o mesmo evento que Jesus previu, ou seja, a visível vinda do Filho do homem, no final da história humana, para inaugurar o seu reino, disse Craig. Mas os proponentes do arrebatamento [“secreto”] dizem que Paulo não está de jeito nenhum falando sobre a segunda vinda de Cristo ali. Segundo eles, Paulo estaria realmente falando deste retorno secreto, preliminar, invisível de Cristo para arrebatar os crentes do mundo antes que ocorra a grande tribulação. Acho que não há apoio textual nenhum para isso.

De acordo com Craig, o arrebatamento [“secreto”] se tornou uma teoria popular sobre o fim dos tempos devido à influência da Bíblia de Referência Scofield, que foi publicada no início do século 20 e propagava a visão de John Darby, de meados do século 18, sobre o arrebatamento [“secreto”]. Mais tarde, instituições cristãs, entre elas o Dallas Theological Seminary, e igrejas começaram a ensinar a validade do arrebatamento [“secreto”].

Um bom número de cristãos que creem na Bíblia absorveram este ponto de vista como se fosse ‘leite materno’ e nunca pensou em questionar suas credenciais bíblicas“, disse Craig.

Craig afirmou que é perfeitamente possível que os cristãos assistam ao próximo filme “Deixados para Trás” ou leiam a série, mas eles não devem levar suas alegações a sério.

“Pode ser,  talvez,  boa ficção. Seria como a leitura de ficção científica ou romances de fantasia, como ‘O Senhor dos Anéis’. Contanto que você não seja enganado em pensar que isso representa escatologia bíblica…“, disse Craig.

Craig, que dirige o “Reasonable Faith”, uma organização apologética que fornece aos cristãos recursos para falar sobre sua fé de maneira “inteligente, articulada,  não transigente mas respeitosa” conclamou outros estudiosos da Bíblia, pastores e líderes da igreja que também refutam o arrebatamento [“secreto”] a falarem sobre a posição deles.

É espantoso se eu estiver correto sobre isso  que o evangelicalismo americano esteja tão amplamente enganado ao ponto de se afastar da posição cristã histórica sobre a segunda vinda de Cristo. Isso é realmente bastante preocupante, porque se estivermos errados sobre isso, que outras coisas podemos ter interpretado mal?“, disse ele.

Fonte: Christianpost.com

Nota deste blogue: A pergunta final de Craig é muito pertinente. Que outros pontos de vista (ou “doutrinas”) muitos cristãos podem ter absorvido como “leite materno” sem questionar suas “credenciais bíblicas”?