Publicado em Pensamentos, Perguntas e Respostas, Reflexões, Sermões

Ecumenismo: Recusando a Unidade do Erro

“Permanecer dividido é pecado! Não disse nosso Senhor em oração: que eles sejam um, como nós somos um? (João 17:22).”

Um coro de vozes ecumênicas continua tocando essa melodia da unidade. O que eles estão dizendo é: “os cristãos de todas as crenças e correntes doutrinárias devem se unir em uma organização visível, independentemente de… Uni-vos, uni-vos!”

Tal ensino é falso, irresponsável e perigoso. A verdade apenas deve determinar nossos alinhamentos. A verdade vem antes da unidade. A unidade sem a verdade é danosa.

A oração de nosso Senhor em João 17 deve ser lida em seu contexto completo. Veja o versículo 17: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” Somente aqueles santificados por meio da Palavra podem ser um em Cristo. Ensinar de outra forma é trair o Evangelho.” Charles H. Spurgeon, The Essence of Separation, citado em The Berean Call, julho, 1992, p. 4.

Num sermão intitulado Promovendo a Verdadeira Unidade, pregado em 1865Spurgeon também afirmou: “Certamente a unidade do Espírito nunca requer algum apoio pecaminoso; ela não é mantida suprimindo a verdade, e sim apregoando-a por toda parte.” Leia mais aqui.

Uma visão adventista sucinta do movimento ecumênico pode ser encontrada no artigo A Igreja Adventista do Sétimo Dia e o Ecumenismo, do  Pr. Glauber Souza Araujo, professor de Ensino Religioso do UNASP.

Anúncios
Publicado em ciência, Pensamentos, Perguntas e Respostas, Reflexões

O Conflito entre a “Ciência” e o Cristianismo

O único conflito entre o Cristianismo e a “ciência” que realmente importa centra-se na relação entre duas palavras: existência verdade.

  • Existência: Ou (1) nós somos a criação especial de Um Ser Inteligente, ou (2) nós somos o resultado de processos sem propósito e não-direcionados que não nos tinham em mente.
  • Verdade: Apenas uma das opções em cima é verdade; a outra tem que ser falsa.

Quando os cientistas fizerem da Verdade o seu objetivo, e não estiverem ideologicamente confinados numa caixa filosófica que os diz que a-ciência-só-pode-considerar-causas-naturais-e-como-tal-temos-que-rejeitar-Deus-apesar-das-evidências-óbvias-em-favor-do-design, então o alegado “conflito” entre a ciência e o Cristianismo desaparece.

Não há “guerra” entre a ciência e o Cristianismo se a Verdade não está limitada por constrangimentos não-científicos. Há apenas um conflito entre uma versão de ciência limitada pela exigência de causas naturais (naturalismo) e o Cristianismo – que ensina Uma Causa Sobrenatural para o universo e a vida biológica.

Nunca pode ser uma guerra entre a “ciência” e a “religião” uma vez que há religiões que não suportam a noção de Deus como o Criador Sobrenatural, e como tal, essas religiões não estão em conflito com a “ciência”.

Desde a altura em que o criacionista Isaac Newton morreu que tem sido cultivada uma nova forma de ciência, algumas vezes chamada de cientismo. Esta nova “ciência” absolutamente requer que só causas naturais sejam classificadas de “científicas”, e como tal, Deus é Considerado como “desnecessário” ou “falsificado”.

Foi portanto criada uma “ciência” que está confinada numa teoria de existência:

  • Nós somos, e só podemos ser, o resultado dum processo natural sem direção, sem propósito que não nos tinha em vista.

E devido a este constrangimento não-científico, a “ciência” nunca vai chegar à Verdade sobre a nossa existência.

A estratégia fundamental dos naturalistas é lutar com todas as suas forças para que a Verdade nunca seja o objetivo da ciência. Por mais evidências que sejam oferecidas a um naturalista, para ele elas são todas inválidas se atravessarem a linha que supostamente divide o natural do “sobrenatural”.

Os estudantes nunca se podem entreter acerca da Verdade sobre a sua existência; eles têm que se restringir ao que a “ciência” dita. É por isso que as escolas públicas ensinam de modo dogmático que os biólogos são o resultado dum processo natural que não os tinha em mente (e os estudantes são obrigados a acreditar nos biólogos).

Se algum dia os estudantes colocarem de lado as etiquetas “religião” e “ciência” e simplesmente se questionarem sobre a verdade da sua origem, eles irão então descobrir que não há conflito entre a ciência e o Cristianismo.

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”João 8:32

Fonte: Darwinismo